Escolha uma Página

A importância da caixa de gordura

 

Poucas pessoas conhecem ou sabem a importância da caixa de gordura para o tratamento do esgoto doméstico. De forma bastante objetiva, podemos resumi-la como um equipamento capaz de separar a água dos resíduos de gorduras, tornando possível o envio do restante do esgoto diretamente para as estações responsáveis.

Fundamental para que haja um esgoto mais limpo e pronto para ser tratado, ela é considerada item de extrema importância – e que merece a devida atenção.

No texto de hoje, vamos explicar exatamente qual a função da caixa de gordura e como a qualidade dela pode interferir em toda a encanação de uma casa ou mesmo de um prédio – seja ele comercial ou residencial.

Também explicaremos um pouco sobre o impacto que as caixas produzidas com material de baixa qualidade podem ter no meio ambiente e na saúde da natureza. Confira!

 

O que é a caixa de gordura e como ela funciona?

 

Como explicamos mais acima, a caixa de gordura é um equipamento instalado geralmente no subsolo de um prédio ou em um espaço mais restrito de uma casa, com a finalidade de separar o esgoto dos resíduos de gordura.

Toda vez que abrimos a torneira, o chuveiro ou damos descarga, essa água é escoada por meio dos encanamentos até a caixa, que a envia diretamente para as estações de tratamento. Para lidar com os resíduos mais simples, como fios de cabelos e restos de alimentos, é possível utilizar ralos que impeçam a passagem deles para os canos – o que não ocorre com a gordura no geral.

Com exceção dos óleos de cozinha, onde hoje em dia a separação é mais recorrente e incentivada, a gordura em geral é mais difícil de ser detectada. Ao lavar louça ou mesmo ao tomar banho, ela passa despercebida pelo ralo – sendo separada do restante do esgoto apenas quando chega à caixa.

Como a gordura é mais densa do que a água no geral, ela fica presa em um reservatório específico, que precisa de limpeza regular de seis em seis meses. Dessa forma, todo o restante pode ser tratado e reutilizado, sem causar danos aos canos ou equipamentos das estações de tratamento de água.

 

E o que aconteceria se não houvesse a caixa de gordura?

 

Como a caixa de gordura conta com uma espécie de divisória, ela impede que toda a gordura acumulada escoe para o encanamento geral da rua, que será direcionado até a estação de tratamento. Sem ela, alguns problemas certamente começariam a aparecer em pouco tempo, como:

 

Entupimentos

 

O primeiro grande problema do excesso de gordura nos canos é o entupimento. No geral, o que acontece é que a densidade desse tipo de resíduo se aglomera pelos canos, fixando-se nas paredes de toda a tubulação. A gordura, de uma forma geral, endurece e dificilmente consegue ser retirada sem a troca de todo o sistema de tratamento.

Esse é um transtorno relativamente comum, que acontece devido à falta de limpeza das caixas de gorduras – o que faz com que a gordura comece aos poucos a vazar para o encanamento. Pensando no problema da falta de manutenção, podemos imaginar o tamanho do estrago se a caixa não existisse.

 

Refluxo do esgoto

 

Se o entupimento já é um enorme transtorno, o refluxo do esgoto é ainda pior. Em alguns casos onde o problema no encanamento não é detectado a tempo, pode haver um retorno de todos os resíduos e da água acumulada para dentro das casas e dos apartamentos.

Há também sérios riscos de inundações nas ruas e no entorno das casas. Nesses casos, o reparo exige quebra do concreto e troca de toda a tubulação de esgoto.

 

Cheiro forte

 

Por fim, um grande problema que a gordura nos canos pode trazer é o cheiro forte que atrai insetos e outros animais, como baratas e ratos – todos que podem entrar nas casas em busca de comida. Um esgoto com excesso de gordura geralmente sofre com as pragas e todo o entorno passa a sentir as consequências de uma má higienização das caixas de gorduras, ou mesmo a falta delas.

 

Essas são algumas das consequências que a falta de uma caixa de gordura traria para os encanamentos como um todo. Felizmente, elas são realidade há dezenas de anos e hoje é quase impossível uma casa ou prédio que não tem o equipamento.

Porém, o mais comum é que haja uma certa imprudência em relação ao tempo de limpeza das caixas. É preciso contratar uma empresa para realizar essa higienização – no caso de caixas de prédios, por exemplo. Nas residências, a limpeza pode ser feita pelo morador, de maneira bastante simples.

O grande problema é que as pessoas não sabem ao certo qual o tempo de intervalo entre uma limpeza e outra, que costuma ser de um a seis meses, no máximo.

 

A qualidade do equipamento e o impacto no meio ambiente

 

Agora que já sabemos a importância da caixa de gordura, é preciso ter em mente o quanto a qualidade desse equipamento pode impactar no meio ambiente e na tubulação de esgoto como um todo.

Caixas de gordura de baixa qualidade podem sofrer rachaduras e, com isso, vazar gordura para os lençóis freáticos, poluindo-os de maneira problemática.

Além disso, todo o esgoto com excesso de vestígios de gordura que não param nos canos, vão para as estações de tratamento, causando entupimentos nos maquinários e aumentando o tempo para que a água volte a ser potável.

 

Conclusões

 

Ter uma caixa de gordura sempre limpa e feita com material de qualidade não afeta apenas o funcionamento do esgoto da sua casa ou dos seus vizinhos. Todo o meio ambiente e o fluxo de tratamento pode ser prejudicado devido às falhas nesses equipamentos.

Por esses motivos, é importante sempre ficar a par da situação da sua caixa de gordura e realizar a troca caso seja necessário. Além disso, é fundamental sempre deixá-la limpa e livre dos resíduos para que ela funcione corretamente.

 

Gostou das informações de hoje? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Lojista entre em contato para condições especiais

Entre em contato